terça-feira, 11 de março de 2014

Arquivo Samara




Passei minha infância em João Pessoa, na Paraíba, onde nasci. Ô lugar bom de se viver! Tenho as mais lindas lembranças dessa terra, há poucos meses me mudei para Recife, onde escrevo esse depoimento. Você pode até pensar que cidades pequenininhas como a minha estão livres de vários males das cidades grandes, como as drogas. Mas não estão.
Mas voltando no tempo...Eu e minhas duas irmãs (Nattascha, a mais velha, Samara e eu, a caçula), sempre tivemos tudo do bom e do melhor. Estudamos em escolas bacanas, moramos em bairros nobres, e crescemos cercadas de carinho. Sério mesmo. Vida suave e feliz.
Fecho os olhos e me lembro da gente correndo pela área de lazer do prédio, brincando na praia, virando a madrugada no videogame...juntas, sempre juntas! As três melhores amigas (Samara e Nattascha mais um pouco, vai...).
Samara sempre foi a mais inteligente.Além disso, linda e magnética. Sabe como? Deixava todos os garotos apaixonados, e as meninas querendo imita-la, como eu!Também tirava as melhores notas. Sabia de tudo.Nós duas passávamos hooooras na locadora decidindo qual filme alugar.Como eu queria que apenas momentos como esse estivessem guardados na minha memória...mas não.
Eu tinha 12 anos quando o pesadelo da nossa família realmente começou.Estava dormindo e acordei com um barulho bem alto.Alguém levou um belo tombo no andar de cima, pensei comigo.Minhas lembranças se misturam, acho que de alguma forma minha mente me quer longe daquele dia. Procurei meu pai, Nattascha, e lembro de um barulho alto de sirene vindo da rua.Levantei correndo, segurei o cachorro, e dei de cara com meu pai desesperado, entendendo que a ambulância tinha vindo buscar Samara. Não desci, não fui ver. Mas minha irmã, Samara, de 14 anos, havia se jogado da varanda do 4 andar do apartamento de um amigo que morava no mesmo prédio que a gente. Você consegue imaginar o tamanho do nosso choque? Ficamos tentando entender o que tinha acontecido! Jesus, como ela tinha caído? Tinha escorregado? Alguém tinha feito algo contra ela? Que angústia!Já no hospital foi a própria Samara quem nos contou que estava “tão louca” que achou que podia voar.
Foi assim, da pior maneira possível que meus pais confirmaram que ela usava drogas. Como muitos jovens, era um baseado aqui, uma bala ali, um doce acolá. Não é assim? Para ser aceito, para aproveitar melhor a festa, para curtir? Ah, também teve a cocaína, que viciou.
E então ela sumiu.
Nem mesmo o acidente, que a deixou sem andar por três longos meses, e que foi um período de fortalecimento de fé e comunhão com Deus para todos nós da família – tivemos ajuda de pessoas da nossa Igreja e de outras Igrejas e religiões –fez com que ela parasse usar drogas. Assim que teve oportunidade, ela voltou ao convívio dos amigos, e ao consumo . E aí, coisas de valor começaram a desaparecer. Dinheiro, jóias, eletrodomésticos.Até o carro da família. Em casa era uma tristeza só, clima de enterro. O agravamento do problema deixou todo mundo em choque. Eu tinha vergonha de conversar com ela, de encarar. Meus pais não sabiam o que fazer. Tentaram castigar, conversar, prender, orientar...convencê-la a se internar.Sóq eu ela estava sem freios, afundando cada vez mais rápido.Então ela sumiu, saiu e não voltou mais. Procuramos amigos, polícia, familiares.Cada vez que o telefone tocava, era um desespero. Meu pai ficava atento aos programas policiais, a procura da manchete, em busca de notícias da sua filhinha. Dias de angústia. Minha mãe nunca perdeu a fé. Sempre em orações, sempre acreditando que ela iria voltar.
Um belo dia, acredito que um ano depois do sumiço, uma mulher bateu a nossa porta.Magra, desgrenhada, pele afundada na cara. Cansada. Um misto de raiva e desespero tomou conta de mim quando vi que era Samara. Choramos, brigamos, e depois nos entendemos.Ela prometeu mais uma vez que ia mudar, que queria mudar. Eu acreditava, por que sabia que meu Deus é o Deus do impossível. Ela aceitou se reabilitar. Com a ajuda de outros cristãos conseguimos um lugar para ela. Eram poucos os lugares que recebiam mulheres. No dia combinado, ela desapareceu. Depois voltou para casa. A qualquer sinal de melhora lá estava ela novamente, entregue ao mundo das drogas. Era um pesadelo. Idas e voltas, melhoras e pioras, promessas e quebras. Ela voltava, dizia que queria virar o jogo, era internada, melhorava e fugia, sem conseguir viver longe das drogas.Tentei ser amiga dela, entender, não julgar...mas talvez não seja evoluída a esse ponto. Ver meus pais e minha família destruídos por causa dela, me doía demais.

Procurando manchetes trágicas nos jornais

Quando eu estava com 20 anos, já perto de me formar em Rádio e Tv, Samara voltou ao nosso convívio.Chegou do nada, para a nossa surpresa. Estava namorando um razpaz, apaixonada, morando com ele.Na época, minha irmã Nattascha já estava de casamento marcado, só que Samara acabou engravidando, e casou um dia antes dela. Foram festas lindas! Abençoadas  e que encheram nossos corações de esperanças. Um bebezinho lindo nasceu no Natal: Maximus, o amor da minha vida. Por cerca de 3 anos, tudo estava incrivelmente bem, até que ela e o marido conheceram o crack.
Sinceramente? Não lembro bem como eram meus dias nessa época. Eu acordava e dormia tentando viver uma vida normal e esconder essa terrível realidade das pessoas que me cercavam. Uma das vezes que fui visita-la fiquei em choque com a casa que moravam. Não havia um móvel sequer. Nada. Maximus estava sozinho sentado no terraço. A essas alturas, meus pais já lutavam pela guarda dele, e ele foi morar com a gente. Um menino tão lindo, mas com um olhar tão triste. Samara sumiu novamente, e a nossa vida voltou ao padrão de “procurar manchetes nos jornais”. Não contei, mas sempre tivemos uma ligação especial. As vezes ela me ligava só para conversar, outras vezes ela ia nos ver e me roubava. Recebi ínumeras ligações a cobrar me pedindo dinheiro para pagar dívidas de drogas. As vezes eu dava, as vezes não. Nunca contei a ninguém, nem aos meus pais o que acontecia. Sentia pena deles, não queria vê-los sofrer ainda mais. Lidei com isso, e tentei sempre _sempre_ ser motivo de alegria e admiração para eles.
Uma vez ela me disse que se prostituía para pagar as dívidas, para comprar drogas. Eu já imaginava, mas como aceitar aquilo vivendo a vida que eu tentava viver? De amigos incríveis, de festas...algumas amigas diziam que eu tinha “vida de seriado”, e sabe o samba “ninguém sabe a mágoa que trago no peito”. Pois é. Então eu pirei. Meio que entrei num buraco junto com ela. Sentia muita vergonha de tentar ser feliz. Chorava em todos os cultos que ia na Igreja Cidade Viva. Chorava quando ninguém estava vendo também. Chorava olhando pela janela do ônibus, chorava quando alguma amiga minha estava usando drogas. Chorava pela situação financeira dos meus pais, chorava pela depressão do meu pai, chorava e chorava. Não conseguia mais curtir as festas, não conseguia mais comemorar de verdade as metas profissionais alcançadas _profissionalmente eu estava crescendo cada vez mais_. Nada me deixava feliz o suficiente, por que eu não era feliz. A dor de não fazer nada me sufocava. A dor de não ter a força e a fé da minha mãe, o carinho do meu pai e da minha irmã Nattascha me enlouqueciam. Eu fingia estar bem, mas meu coração e minha alma nunca acreditaram nisso.
Meu pai só me contou depois, mas durante esse período chegou a levar dinheiro a um traficante, que a acorrentou ao pé da cama até que a dívida fosse paga. Ele me disse que foi várias vezes a cracolândia busca_la, procura-la. E acreditam que eu tinha raiva dele? Achava que ele a protegia demais, e esquecia de mim, que tentava ser tão perfeita. Como somos injustos e imaturos não é?

O crack detonou seu corpo
E quando a gente pensava que nada poderia piorar,descobrimos que Samara estava grávida novamente. Ela simplesmente apareceu em casa no final da gestação. Tirando a barriga, ela era só pele e osso!O crack detonou seu corpo, e ela havia se drogado durante toda a gravidez. Em uma dessas bênçãos de Deus para as nossas vidas, em mais um milagre inexplicável, o bebê nasceu saudável. Ela o batizou de Hércules. Quando ele ainda era recém nascido Samara fugiu com ele, e foi presa na cracolândia. Minha tia, irmã da minha mãe, se ofereceu para cuidar de Hércules. Mais um presente de Deus. Não tínhamos estrutura financeira e nem emocional para tanto.
Eu nunca fui no presídio.Ela ficou por lá uns 20 dias, e me telefonava toda noite, de números diferentes, pedindo crédito de celular. Gritava muito, dizia que ia ser morta. Algumas presas também me telefonavam, ameaçando a nossa família. Paralelamente a essa situação meus pais lutavam e conseguiram um defensor público para solta-la. Então tive um estalo: Vou tratar de viver minha vida. Vou é ser feliz.Poxa vida. Me afastei dela, doa problemas dela, da vida dela. Conheci Tito, e foi amor a primeira vista. Começamos a namorar e casamos ano passado. Ele é o homem mais carinhoso e companheiro do mundo. Infelizmente _ e hoje sofro e me arrependo_ nunca conheceu Samara.
Uma vez solta, conseguimos interna-la numa ala para dependentes químicos de um hospital psiquiátrico. Horrível. Dopavam ela. Nos fins de semana, ela ficava conosco, dopada, e sequer conseguia falar. Mais uma vez não conseguia acreditar que aquela era Samara. Passei a não reconhece-la mais. Recebemos mais ajuda de outros irmãos em Cristo. Até de pessoas que já estavam em nosso convívio, mas com quem absolutamente não nos abríamos. Essas pessoas e a nossa fé em Deus foram fundamentais nesse processo. Conseguimos interna-la em uma clínica cristã (católica) que tinha espaço para mulheres. Nunca fui visita_la. A mágoa do meu coração era tão grande, que minha fé estava sumindo, até me afastei da Igreja.Tinha medo de me decepcionar mais uma vez, e sabia que ela não ia melhorar.

Então achamos a manchete que tanto procurávamos
31 de dezembro. Eu, Tito, Maximus, Nattascha e seu filhinho Nabal tínhamos passado um dia perfeito na praia.Voltamos cheios de planos para o ano novo. Voltamos e liguei o computador. Como jornalista, mesmo de folga, eu queria me manter informada. Então li a manchete que sempre temi encontrar : “Mulher é encontrada morta a pedradas no bairro São José.”.Reconheci minha calça jeans na foto. Liguei para o legista (por ser da imprensa tinha esses contatos) e pedi para ele procurar uma tatuagem no corpo. Ele achou. Era ela.Minha irmã estava morta, morta a pedradas. Que triste fim para uma história tão triste.Não fui ao GEMOL, nem ao velório e nem ao enterro.Não queria vê-la desfigurada aos 28 anos de idade. Não queria falar com ninguém. Tive pesadelos horríveis. Queria apagar aquilo.
Até hoje a polícia não encontrou os culpados pela morte dela. Mais de um ano depois e que nos procuraram para interrogar. Não vão encontrar.
As vezes meu coração se enche de uma tristeza indescritível, do tamanho do mundo.Autopiedade, pena dela, pena dos meus pais, dos filhos que ela deixou. Meu único conforto é pensar que a minha história contada aqui pode ajudar pessoas a procurarem um caminho longe das drogas.
De tudo isso, restaram alguns tesouros! Meu marido Tito conheceu a Cristo e renovou sua fé em Deus! Voltei a comunhão na Igreja e consegui também aproximar outras pessoas de Deus, assim como ajuda-las nas suas dores e também pedir ajuda quando necessário.
Outros tesouros tem nome: são dois pequenos e lindos milagres com nomes de hérois: Máximus hoje com 9 anos  e Hércules, com 5.Consigo enxergar muito dela neles! Falo em Samara com muito amor para os meninos. Sempre que posso, conto da nossa infância, daquela menina linda que corria comigo na praia, que arrumava meu cabelo, que roubava meus paqueras, que tirava notas melhores que as minhas, e que tinha a risada mais gostosa que já ouvi.

33 comentários:

Maria disse...

Nossa, que depoimento soco no estômago. Seu relato é tocante, chocante e comovente. Sua irmã tá viva na sua memória em bons momentos e isso é o mais importante.

Taty Valéria disse...

Muito emocionada... sua história apareceu pra mim num momento tão difícil...
Nem sei o que dizer, só que gostaria de conversar pessoalmente com você quando tivermos oportunidade.

Fique com Deus.

Camila Almeida disse...

Poxa, realmente um depoimento emocionante. E que força sua familia teve para lutar por ela acima de tudo. :) E ouvi de um padre que alguém só está morto de verdade quando não lembramos mas dessa pessoa, e no caso da sua irmã ela estava muito viva na lembrança de vocês.

VanessaBraz.com disse...

Nossa Maguinha a unica coisa que posso dizer é qud amo muito você d toda a sua familia. Pessoas de Deus, guerreiros, amigos que enfrentaram tudo isso sem perder a base familiar e a fé. Um testemunho de vida que sem duvida vai tocar e fortalecer muitos coracoes.

Tiago disse...

Mariah, por trás de você tem isso tudo? Impressionante e impactante teu depoimento.
Fica sempre bem!

cyntiadipaula disse...

Te amo!! Parabens... de novo. por tudo!

Hyldo disse...

Nossa amiga, você conseguiu me emocionar. Parei pauta, perdi a hora da maquiagem para entrar no ar no Cidade Alerta Paraíba ( kkkk), mas valeu a pena. Que barra heim?! Infelizmente, mais uma vez, a droga venceu. Noticiamos diariamente casos dramáticos e famílias devastadas pelas drogas. Em muitos deles, o desfecho é trágico. Que fiquem as boas lembranças e tempos maravilhosos com boas risadas! Boa Sorte!

Anônimo disse...

Lindo! Mta coragem sua. Deve ter doído mto para escrever...

Renata Ferreira disse...

Nossa, Mariah. Não chegamos a nos conhecer aqui pelas redações de João Pessoa, mas sua história me tocou. Tenha fé. As coisas às vezes não parecem ter sentido, mas eu creio que há uma razão. Não pode ter sido em vão tudo isso que a sua irmã passou. No mais, acho que nesse momento o que você pode fazer para cicatrizar essa dor já está fazendo. Falando da sua irmã com amor, permitindo que os seus sobrinhos tenham dela uma boa referência. Torço por vocês. Beijos

Anônimo disse...

Lindo depoimento. Deus os abencoe grandemente.

livanir ramo disse...

Ou querida que testemunho lindo, fale sempre de sua irmã aos seus sobrinhos as alegrias de vcs (osmomentosdealegriaefelicidade). Eles um dia vão entender td isso que hj ñ entendem. Fiquem tds com Deus na paz de Jesus. Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas. Sl 72 v 18.

Carol Rodrigues disse...

Prima, palavras abençoadas. Que o seu testemunho sirva de alerta e ajuda para famílias que passam por esse problema.

RS. disse...

Parabens por tal testemunhos, com toda certeza pessoas vão ler e perceber do amor de Deus na sua vida. E com isso temos o aprendizado: "Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar."
(1 Pedro 5:8)

cyntiadipaula disse...

Linda e doce Mariah. Obrigada pela coragem de abrir seu coração e sua história, a história de Samara - que é tantas outras Samaras por este mundo a fora. Obrigada por nos deixar ver o sofrimento de Samara - para que não apontemos o(s)dedo(s) incriminando as vítimas dessa "droga" - que são as drogas. Conheci um pouco de Samara - e ela era mesmo muito linda. Viveu o que pode, mas hoje esta em paz com deus - isto nos consola.
Que seu testemunho sirva para aliviar seu coração - continuar sua vida sem culpas - sabemos da linda família que você tem, da fé que cultivam e da provação que tiveram que passar. O mais exemplar de tudo isso, é não terem ficado no chão. Saberem continuar a viver. Que este testemunho ganhe espaço virtual e sirva para ajudar a prevenir o uso e a disseminação das drogas., mal que isola famílias e a sociedade. Que deus cure e sare todas as dores do seu coração e de toda família. E pelo poder de Deus Máximos e Hércules resiginificarão a mãe deles.

Anônimo disse...

Nossa Mariah. Chocante que descobri agora que convivi com você no meio dessa história tocante e a lembrança mais presente que tenho de você é de uma pessoa extremamente alegre, delicada, um verdadeiro sol de calor e luminosidade. Lendo isso agora vejo que você é tudo isso, e muito mais, por ter tentado de várias formas lidar, viver e lutar com essa dura realidade.

Beijos

Disney

Jussiê Rodrigues disse...

Parabéns Mariah pela coragem de partilhar um pouco de sua história para poder salvar muitas pessoas. Força, coragem e Deus sempre!!!

José Arivalter disse...

Parabéns Mariah, pela coragem do relato. Deus há de lhe dar força para viver e contar o lado bom desta estoria.

Camila Marçal disse...

É muito Triste Mariah. Eu conheci a sua irmã, estudamos juntas na 7ª série. Me lembro da época do acidente, mas não sabia sobre o que estava acontecendo! Lamento muito...

Carmem disse...

Fatídica realidades de quem se envolve com as drogas. Se perde a condução da própria vida! Nem ao menos, se permite ser ajudado (a).
Compartilho e reconheço todos estes sentimentos e estas tentativas de ajuda. A vida segue e temos que entender que Deus tem um destino pra cada um de nós. Apenas! Belas palavras articuladas!

Clélia Correia disse...

Nossa, estou muito tocada com essa história. Principalmente pq fui aluna de Linda, e jamais imaginei que por trás daquela alegria e daquele sorriso existia toda essa dor e sofrimento. Vcs são verdadeiros guerreiros.

Jackeline Varela disse...

Lary's, lembra de mim? Como imaginar que por trás daquela pessoa tão linda, minha amiga de tv tinha toda essa história? você é linda é de DEUS e ele está com você e com Samara, você é forte e guerreira e um orgulho para muitos, beijos da sua fã, Jacky

Caio Ismael disse...

Mariah, conhecer a sua história me fez te amar e te admirar muito mais. Viemos ao mundo com uma missão e tenho certeza de que você já ajudou muita gente com esse texto.

Sinto falta do nosso convívio, mas sinto que estás bem aí em Recife. Que Deus abençoe você e Tito todos os dias e que vocês sejam uma família muito feliz - em Deus.

Muitas saudades.

Anônimo disse...

Mariah, já li e reli tantas vezes. Mas não tem como não se emocionar em cada uma delas. Me lembro de você falando de Samara na época em que fazíamos cursinho juntas, comentando que mais uma vez ela tinha sumido. Me lembro que você fazia piada da situação, com aquela música "Natasha" do Capital Inicial. Me lembro de você lamentando a realidade da sua irmã tão linda, inteligente e cheia de vida. Me lembro de você revoltada com a angústia que ela fazia seus pais passarem. E me lembro de como eu admirava você por, apesar de tudo, conseguir manter aquele sorriso todinho no rosto, e de como eu admirava sua família, por não se deixarem abater, por suportarem toda essa provação Unidos e sem perder a fé em Deus. Parabéns a vocês por terem dado conta dessa dor e por terem seguido com suas vidas. E obrigado por compartilhar essa história tão triste, mas de tanta serventia pra essa galera que anda se perdendo por aí. Se uma delas se recuperar depois de ler este relato, a morte de Samara não terá sido em vão. Deus abençoe vocês e os seus, minha querida!
Luísa Elena

sandra maria claro de freitas disse...

Sinto muito por essa dor imensa que voces viveram e muuitos parabéns pela sua generosidade, pelo seu altruísmo, pela sua vontade de ajudar o próximo. Imagino o quanto vc sofreu e chorou ao escrever com tantos detalhes sua dolorosa historia. Tenho certeza que seu depoimento irá sim ajudar muita gente! Fica com Deus.Estou rezando para que vcs se libertem destas angustias que marcaram, dolorosamente, a vida de todos voces.

DANIELE KAZAMA disse...

Estou vivendo isso com minha filha de 15 anos ela saiu de casa e esta vivendo com um homem de 20 ontem passou mal... e nao quer ser ajudada e nem tao pouco por mim. LINDA SUA HISTORIA. EU ME VI NELA ... ESTOU PERDIDA E NEM SEI POR ONDE COMEÇA R...

carla freire disse...

Nossa, que realidade triste, esta do mundo das drogas, me tocou o teu depoimento, pois além de ser amiga da tua Mãe, tenho um irmão viciado há muitos anos também e sei o quanto é doloroso para toda a familia uma situação como esta, parabéns por teres tido a coragem de contar , serve como alerta para os jovens saberem como é dura a realidade do mundo das drogas,Paz para ti, sê feliz!
Namastê!

Any Kariny disse...

Ñ tem como ñ se emocionar e tbm ñ lembrar dos momentos felizes vividos ao lado de Samara(SAUDADES).Ha 22 anos atrás quanto estive em JP pela primeira vez,conheci três lindas meninas FELIZES,ADORÁVEIS que ñ deixava nem eu namorar com seu tio Flávio pq ñ parava de brincar comigo,lembro de uma vez que fomos a praia Linda,Onaldo,Flávio,Eu e as trés magrinhas cantando dentro do carro uma FELICIDADE tamanha,tenho tbm uma grande DOR em meu coração pq assim como vc perdi tbm pro mundo das drogas meu irmão caçula(TRISTE),e tbm vejo tds os dias meus alunos morrendo como dói,mas saiba Mariah que ela(Samara)sabe que sempre à amamos e que vcs NUNCA perderam a esperança.....TE AMO!!

Any Kariny disse...

Ñ tem como ñ se emocionar e tbm ñ lembrar dos momentos felizes vividos ao lado de Samara(SAUDADES).Ha 22 anos atrás quanto estive em JP pela primeira vez,conheci três lindas meninas FELIZES,ADORÁVEIS que ñ deixava nem eu namorar com seu tio Flávio pq ñ parava de brincar comigo,lembro de uma vez que fomos a praia Linda,Onaldo,Flávio,Eu e as trés magrinhas cantando dentro do carro uma FELICIDADE tamanha,tenho tbm uma grande DOR em meu coração pq assim como vc perdi tbm pro mundo das drogas meu irmão caçula(TRISTE),e tbm vejo tds os dias meus alunos morrendo como dói,mas saiba Mariah que ela(Samara)sabe que sempre à amamos e que vcs NUNCA perderam a esperança.....TE AMO!!

Fatima Bezerra disse...

Amada conhecia um pouco dessa historia e de tudo que aconteceu , mais agora me emocionei ,pois sei o quanto minha irmã em Cristo Linda Susan sofreu,mais nunca deixou de ser uma mulher de fé.

Larissa disse...

Texto emocionante que um dia vc vai poder mostrar a seus sobrinhos :)

Simone Leal disse...

Profundamente emocionada com seu depoimento tocante .Lembro-me da época da morte de sua irmã,Você era produtora da tv Cabo Branco e Linda Suzan, nutricionista que eu sempre conversava sem saber que era sua mãe .O mundo muitas vezes nos põe a testes e DEUS nos faz tirar forças de onde nem sabíamos ter. Perdi uma mãe com câncer no meio 5° mês de gestação.Somos guerreiros da vida .Meu beijo carinhoso moça bonita e Assessora de minha amada NASSAU.Deus e luz sempre :)

Lilian Dy Carvalho disse...

Tive uma prima que faleceu em condições parecida e entendo como é difícil aceitar esse fim para uma pessoa que amamos tanto.
Em nossa familia tb fomos consolada pela fé em um Deus que sabe todas as coisas e que nos dar forças para continuar!

Italo Rodrigues - Náutico disse...

Agradeço a Deus por ter te dado força para escrever isso meu amor.
Tenho certeza que suas palavras vão viajar por todo o mundo, e de alguma maneira você vai ajudar muitas pessoas.

Te amoooooo!

Divulquem, repassem para seus amigos!
Copiem e colem mostrem a todos o final infeliz que a droga leva!